Flavio Cruz

Esquerda, Direita, Trump e Putin

Naquele tempo havia o Capitalismo e o Comunismo. Briga ferrenha. Segundo os primeiros, os segundos eram ateus, eram contra a liberdade e até matavam criancinhas e depois as engoliam. Segundo estes últimos, o Capitalismo era cruel, fazia os pobres ficarem mais pobres e morrerem de fome. A briga ficou tão feia que até se criaram os ditadores para garantir que seu regime não pudesse ser derrotado pelo outro. Os comunistas começaram a ser chamados de “esquerda”e os capitalistas de “direita”. Provavelmente foram os capitalistas que arrumaram esses nomes, pois esquerda quer dizer sinistro, ruim. E, lógico, direita é direita, aquilo que está certo, direito. Ficou, então, tudo muito confuso. Havia grupos terroristas que queriam transformar a direita em esquerda e a esquerda em direita. Havia tortura, mas segundo os especialistas o pessoal da direita fazia uma  tortura mais cruel que o da esquerda. Isso, no entanto, é especulação.

Os governos de esquerda mais espertos, como a Rússia e a China, aceitaram um pouco de Capitalismo para o pessoal se animar um pouquinho. Só não abandonaram essa parte de autoritarismo, pois, senão, a coisa ia ficar difícil de controlar. O pessoal da direita, que também não é nada bobo, arrumou um pouco de Comunismo para contrabalançar: inventaram alguns programas “sociais” para os pobres não ficarem muito bravos.

Daí veio essa explosão enorme de comunicação de massa, redes sociais e todo mundo ficou especialista em esquerda e direita, mas, na verdade, ninguém entende nada. Um chama o outro de radical e há muitos xingamentos: esquerdopata, nazista, racista. Ninguém sabe mais nada, todo mundo quer só xingar.

Há pouco tempo atrás, porém, algo mais inusitado ainda, aconteceu. Um cara considerado de extrema direita, venceu as eleições nos EUA. Até aí, tudo normal pois lá esquerda não tem vez. Você estar no centro, para eles, já é ser de esquerda. Foi então que descobriram que a Rússia ajudou o tal de Trump se eleger. Um cara de extrema esquerda ajudar outro de extrema direita?

Está a maior confusão, há investigação, as provas começaram a a surgir. E se você pensa que o presidente está negando seu amor pelo presidente da Rússia, está muito enganado. É o maior fã do Putin. Segundo ele, esse cara é um homem forte, líder, e é seu ídolo.

 

Bom, se já estava tudo muito confuso, agora é que não dá para entender mais nada. Talvez seja tudo fake news. Não existe esquerda, nem direita. Agora embaixo e em cima existe sim. Eu tenho certeza de que estou por baixo, como muitos outros e que tem um pessoal que está bem em cima. Sei também que é esse pessoal que tem muita grana. Ah, sim, eles também controlam essas tais de fake news. Bom, de qualquer forma, eu desisto...

 
 

Alle Rechte an diesem Beitrag liegen beim Autoren. Der Beitrag wurde auf e-Stories.org vom Autor eingeschickt Flavio Cruz.
Veröffentlicht auf e-Stories.org am 14.08.2018.

 

Leserkommentare (0)


Deine Meinung:

Deine Meinung ist uns und den Autoren wichtig! Diese sollte jedoch sachlich sein und nicht die Autoren persönlich beleidigen. Wir behalten uns das Recht vor diese Einträge zu löschen! Dein Kommentar erscheint öffentlich auf der Homepage - Für private Kommentare sende eine Mail an den Autoren!

Navigation

Vorheriger Titel Nächster Titel


Beschwerde an die Redaktion

Autor: Änderungen kannst Du im Mitgliedsbereich vornehmen!

Mehr aus der Kategorie"Politics & Society" (Kurzgeschichten)

Weitere Beiträge von Flavio Cruz

Hat Dir dieser Beitrag gefallen?
Dann schau Dir doch mal diese Vorschläge an:

Um pastor chamado Mateus - Flavio Cruz (Life)
Heaven and Hell - Rainer Tiemann (Humour)