Flavio Cruz

Um mundo de bolhas

Vivemos num mundo de bolhas. Existem bolhas de alienados, de gente de esquerda, de gente de direita, de radicais, de extremistas religiosos, enfim, um monte de bolhas.

Obviamente entre elas não há comunicação. Uma ataca a outra, menos a dos alienados. Existe também uma gigante, enorme, deformada por causa do próprio peso, que está lá embaixo e nunca vai se levantar por causa de seu tamanho. É a a bolha doa pobres, oprimidos e abandonados. Acima de todas, estão duas bolhas pequenas, mas douradas, cheias de glamour: são as bolhas dos poderosos e a dos ricos. Elas estão sempre em contato e têm livre passagem de uma para a outra. Elas não se preocupam muito com as outras, somente quando alguma está crescendo muito, principalmente aquela do pessoal de esquerda.

A grande bolha dos abandonados não tem força para subir, a não ser que seja impulsionada por uma outra bolha poderosa. No entanto, ela nunca vai saber por que está subindo, se estiver subindo. No fim, ela sempre vai de novo ao chão, onde é seu lugar, e se esparrama.

Tenho muita pena da Grande Bolha, mas também não sei o que fazer por ela. Talvez eu até esteja lá também e nem esteja sabendo...

 

Alle Rechte an diesem Beitrag liegen beim Autoren. Der Beitrag wurde auf e-Stories.org vom Autor eingeschickt Flavio Cruz.
Veröffentlicht auf e-Stories.org am 22.06.2018.

 

Leserkommentare (0)


Deine Meinung:

Deine Meinung ist uns und den Autoren wichtig! Diese sollte jedoch sachlich sein und nicht die Autoren persönlich beleidigen. Wir behalten uns das Recht vor diese Einträge zu löschen! Dein Kommentar erscheint öffentlich auf der Homepage - Für private Kommentare sende eine Mail an den Autoren!

Navigation

Vorheriger Titel Nächster Titel


Beschwerde an die Redaktion

Autor: Änderungen kannst Du im Mitgliedsbereich vornehmen!

Mehr aus der Kategorie"Politics & Society" (Kurzgeschichten)

Weitere Beiträge von Flavio Cruz

Hat Dir dieser Beitrag gefallen?
Dann schau Dir doch mal diese Vorschläge an:

Andando pela Pauliceia Desvairada - Flavio Cruz (Everyday Life)
A Long, Dry Season - William Vaudrain (Life)