Flavio Cruz

O choro de Deus


Meu amigo Nino disse que às vezes conversa com os anjos. Provavelmente ele deve estar falando metaforicamente, embora em se tratando dele, eu não duvido de nada. Pois bem, outro dia ele me contou uma história que, supostamente, um ser celestial contou para ele. Segundo esse relato, durante a Segunda Guerra Mundial, Deus ficou tão chateado com a humanidade, que até chorou. Imaginem só, Deus chorar! Também não foi mole ver o que o homem tinha feito com seu livre arbítrio. Não sei, ou melhor, o Nino não sabe, se Ele não deu uma apressada no final do conflito. Afinal de contas, não devia ser nada fácil ficar vendo aquelas coisas acontecerem. Ainda segundo nosso narrador, depois disso, Ele resolveu esquecer um pouco da Terra, pois, ao contrário do que muitos religiosos acreditam, há gente – e bem melhor – em outros planetas. O anjo ainda teve tempo de Lhe falar que as coisas pareciam estar melhorando logo depois do grande conflito. Alguns povos, como o japonês e o alemão, nem estavam fazendo mais exércitos. Não sei se o anjo ocultou o fato de que eles o faziam porque foram obrigados pelos vencedores.
Passaram-se algumas décadas – para Deus isso não é nada – e não se sabe por que cargas d’água, Ele resolveu dar mais olhada neste perdido mundo da Via Láctea. Tinha alguma esperança de ver uma sociedade bem mais civilizada, avançada, depois dos horrores do passado. Depois de uma guerra mundial, as pessoas precisam aprender, certo?
Pois bem, o anjo não tinha boas notícias. Estavam fazendo todo o tipo de barbaridade. De novo! Assassinatos, crueldades para as quais nem nomes conseguiam mais inventar. O pior é que estavam fazendo algumas coisas no nome dele! Dá para acreditar? Roubar, enganar, matar, em nome de Deus? Alguns até falavam que Deus estava pedindo dinheiro. Como pode uma coisa dessas? Até crianças estavam morrendo e sofrendo por causa desses bárbaros.
Depois de ver o relatório, ainda segundo o anjo que conversa com o Nino, Deus balançou a cabeça. Mas não foi só isso. O celestial amigo do Nino disse e confirmou: Deus estava chorando. De novo! Eram lágrimas grossas, pesadas, sentidas. Eram lágrimas divinas!
Dá para acreditar?

 
 

 

Alle Rechte an diesem Beitrag liegen beim Autoren. Der Beitrag wurde auf e-Stories.org vom Autor eingeschickt Flavio Cruz.
Veröffentlicht auf e-Stories.org am 05.12.2015.

 

Leserkommentare (0)


Deine Meinung:

Deine Meinung ist uns und den Autoren wichtig! Diese sollte jedoch sachlich sein und nicht die Autoren persönlich beleidigen. Wir behalten uns das Recht vor diese Einträge zu löschen! Dein Kommentar erscheint öffentlich auf der Homepage - Für private Kommentare sende eine Mail an den Autoren!

Navigation

Vorheriger Titel Nächster Titel


Beschwerde an die Redaktion

Autor: Änderungen kannst Du im Mitgliedsbereich vornehmen!

Mehr aus der Kategorie"Politics & Society" (Kurzgeschichten)

Weitere Beiträge von Flavio Cruz

Hat Dir dieser Beitrag gefallen?
Dann schau Dir doch mal diese Vorschläge an:

A cidade de cristal - Flavio Cruz (Science-Fiction)
A Long, Dry Season - William Vaudrain (Life)