Flavio Cruz

O Planeta Azul

 
 
A Nasa divulgou há algum tempo o que eles consideram a foto de nosso planeta com a mais alta resolução até hoje alcançada. Temos de admitir que a Terra é linda. Um azul maravilhoso permeado de nuvens brancas, tons de verde, e um leve marrom  aqui e ali.
Agora imagino uma nave espacial vindo de uma galáxia distante, aproximando-se de nós. Seres muito mais avançados, eles têm tecnologia para ver de longe mais detalhes nossos. Construções, rodovias, nossos satélites orbitando. Com seus potentes computadores e aparelhos podem deduzir qual o nosso grau de evolução, a fase de civilização em que nós estamos. Será, pensariam eles, que esta é uma civilização que usou a tecnologia para equilibrar as diferenças sociais, eliminando a fome a pobreza? Ou será que fez com que os mais privilegiados ficassem ainda mais ricos e deixassem os pobres mais pobres? Será que diante da maravilha da ciência, os humanos desenvolveram a compaixão, sentimentos de amizade e aproximação? Ou será que o desejo de poder foi aguçado pela ciência e suas possibilidades, separando poderosos e fracos? Ainda existem as pequenas delicadezas do dia a dia, doces olhares, um gesto amigo ou uma mão estendida? Ou será que é tudo frieza, praticabilidade, objetividade? Ciência pura e fria ou tecnologia que traz prosperidade, bom senso, enternecimento? Robôs práticos e eficientes que dispensam a sensibilidade humana ou um avanço criativo que explora a singularidade da mente humana? Preconceito ou concordância?
Nem uma coisa nem outra.
Somos mistura de amor e ódio, progresso e atraso, estação espacial e carro de bois, internet e analfabetismo, covardia e coragem, espiritualidade e materialismo, superficialidade e essência.
Um amálgama estranho, vibrante, amedrontador e ao mesmo tempo cheio de promessas e ameaças, que às vezes assusta e outras, encanta. Se os nossos visitantes pudessem conviver um pouco conosco, ficariam admirados de como tanta diferença possa conviver no mesmo espaço, na mesma era... Eu acho que, ao mesmo tempo, eles ficariam assustados e encantados... e talvez tivessem esperanças quanto ao nosso futuro. Talvez na nossa diversidade esteja a nossa beleza, a realização de nossos sonhos e de nossas esperanças...Bem vindo ao  Planeta Terra, o “Planeta Azul”...

 

Alle Rechte an diesem Beitrag liegen beim Autoren. Der Beitrag wurde auf e-Stories.org vom Autor eingeschickt Flavio Cruz.
Veröffentlicht auf e-Stories.org am 04.05.2015.

 

Leserkommentare (0)


Deine Meinung:

Deine Meinung ist uns und den Autoren wichtig! Diese sollte jedoch sachlich sein und nicht die Autoren persönlich beleidigen. Wir behalten uns das Recht vor diese Einträge zu löschen! Dein Kommentar erscheint öffentlich auf der Homepage - Für private Kommentare sende eine Mail an den Autoren!

Navigation

Vorheriger Titel Nächster Titel


Beschwerde an die Redaktion

Autor: Änderungen kannst Du im Mitgliedsbereich vornehmen!

Mehr aus der Kategorie"Science-Fiction" (Kurzgeschichten)

Weitere Beiträge von Flavio Cruz

Hat Dir dieser Beitrag gefallen?
Dann schau Dir doch mal diese Vorschläge an:

A Balada - Flavio Cruz (Science-Fiction)
El Tercer Secreto - Mercedes Torija Maíllo (Science-Fiction)
Heaven and Hell - Rainer Tiemann (Humour)